A Restauração dos Sonhos – Parte 2

15
jul

Incredulidade, a maior inimiga dos sonhos

Algumas vezes, diante dos sonhos surgem as impossibilidades. O espirita de incredulidade se aloja na mente para causar impedimento dos sonhos.

O sonhador não conquista o que lhe foi proposto, por estar preso às dificuldades que normalmente são levantadas por ele mesmo. O homem é o maior óbice dos sonhos que Deus coloca em seu coração quando dá ouvidos à incredulidade.

A Bíblia diz que, quando um sonho é publicado no mundo físico, a vingança do inimigo é despertada no mundo espiritual. Todo sonhador se torna uma ameaça para o inferno.

Na vida de um homem, só há duas opções: ou ele rompe para sonhar, ou será um eterno frustrado por ter nas mãos todas as possibilidades para ser um vencedor e não ter conseguido.

Deus quer que Seus filhos se conheçam sem cadeados e correntes e então se cumprirá a profecia que diz: “Eu irei adiante de ti, e tornarei planos os lugares escabrosos; quebra­ rei as portas de bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro” (Isaías 45:2). Não temos noção do que é um ferrolho de bronze quebrado, mas desejamos a sensação de ser livre, pois ela é muito boa. Estamos em um tempo no qual o Pai quer devolver o cajado e o cetro, abrir os cadeados e tirar todas as correntes e os ferrolhos de bronze, para que nada impeça o Seu agir.

Dois sonhadores excelentes

A Bíblia fala de José e Daniel, dois homens como pessoas nobres, que possuíam, dentre tantas qualidades, o dom de interpretar sonhos.

Eles andavam sempre em sintonia com a linguagem do Espirita e por isso interpretaram até mesmo os sonhos do rei. Eram integras e fiéis e ambos foram colocados em lugares de excelência.

José falava sobre seus sonhos com seu pai e seus irmãos (Gênesis 37). Ao compartilhá-los, seus irmãos sentiram ciúmes e inveja, e isso quase o levou à morte. José não aguentava guardar os sonhos de Deus apenas para si e por isso fez de seus familiares participes com ele. Os sonhos que temos no coração precisam ser compartilhados, mas não com qualquer pessoa. Quando Satanás vê um sonhador, ele tenta matar, lançar em cisternas ou na cova de leões como fez com José e Daniel.

Mas esses homens foram sonhadores de êxito, porque creram que, ao compartilhar seus sonhos, ainda que alguns se levantassem contra, não prevaleceriam. José restaurou sua família e uma nação. É isso que faz um sonhador. Um sonho pode ser zombado, colocado na cisterna, jogado na masmorra, enviado para uma outra fronteira; um sonho pode levar o lidera uma nação desconhecida, colocá-lo numa casa que não é sua, onde vão querer que ele se venda, se entregue, negocie.

Mas, em tudo o sonhador precisa se manter fiel, pois nenhum obstáculo vai impedi-lo de alcançar o que Deus colocou em seu coração. Na masmorra, José conseguiu interpretar os sonhos do padeiro-chefe e do copeiro-chefe. Isso o tornou famoso a ponto da noticia chegar aos ouvidos de Faraó. Então, um sonho pode fazer com que você perca uma túnica por causa de inveja, mas lhe dará vestes reais.

Faraó e Nabucodonozor não sabiam interpretar seus sonhos, porque não tinham o Espirita de Deus. Eles precisaram de José e Daniel. É o homem de Deus quem vai dizer aos grandes e aos nobres o que está acontecendo. José estava convivendo com pessoas que estavam presas, mas ele se mantinha livre. Independente do lugar que estava, ele mantinha vivo na memória os sonhos que havia recebido de Deus. José entendia no espirita que a maior prisão não é a externa, mas a interna. Ele era um homem internamente livre a despeito de todas as circunstâncias. Um homem que sonha não estará preso ainda que esteja em aparentes cadeias. Não é o limite geográfico que faz um homem preso ou livre é o que ele tem dentro da alma.

Todo sonhador tem uma alma livre e sempre se alegra com os sonhos de seus irmãos. José poderia ser um homem covarde ou silenciado, mas ele não foi cúmplice das derrotas dos seus irmãos. Ele disse a cada um deles o que ia acontecer através de seus sonhos. Fazemos parte de uma geração sonhadora. Os sonhos que Deus está-nos dando são para colaborar com o mover do Espirita (Joel 2:12, 21-29). O mover só virá quando a Igreja abrir o seu entendimento, a sua visão.

Quando os sonhos forem restaurados, então ninguém ficará de fora: os velhos sonharão, os jovens terão visões, as mulheres profetizarão. Temos a confirmação desta profecia de Joel no livro de Atos, capitulo 2. Deus decidiu entregar uma visão à Terra. Quantas estrelas há no céu? É impossível contar. Quantos grãos de areia existem na terra? Quantas espécies de borboletas há no Amazonas? Para quê tanto peixe? Os sonhos de Deus não são pequenos. Deus é assim: mesmo as coisas pequenas de Sua criação possuem um valor imensurável.

Deus é sonhador, e, como Seus filhos, temos a mesma essência. Um sonhador nunca morre; a história passa, mas ele fica registrado. Jesus foi um contador de histórias. Ele teve 12 discípulos (Mateus 10), mas apenas alguns fizeram história, e até hoje causam impacto quando lembrados. Devemos ser historiadores para que alguém leia nossa história.

Você sabe a importância de contar uma história? É perpetuar vidas. Deus quer que aprendamos a perpetuar o sonho que Ele nos deu. Não somos eternos fisicamente, por isso precisamos ampliar a nossa visão através da história. Quando sonhamos, somos atraídos para o lugar dos sonhadores. Os sonhadores se atraem e os que não sonham se traem o tempo todo. Precisamos arrepender-nos por não permitirmos deixar Deus sonhar através de nós. Se há algum peso que nos impede de sonhar, Jesus quer tirar de nós. Ele quer que andemos livres em Sua presença para sonhar os sonhos de Seu coração.

O Apóstolo Paulo foi um homem que provou que um ambiente geográfico não amarra e nem segura um sonhador, um visionário. Quando Paulo estava preso, escreveu inúmeros livros que hoje compõem o Novo Testamento. Quanto mais o inimigo tentar nos prender, maior é a oportunidade que Deus nos dará para que façamos mais para Ele. Deus quer-nos tirar dos limites, das margens, dos cantos, pois não somos ribeirinhos. Não devemos ficar esperando enchentes para subir e descer. Fomos chamados para navegar nos rios de Deus com autoridade.

Aprenda a ser o que Deus sempre sonhou para a sua vida. Não seja mais nem menos. Ele fará de você um conquistador sem limites. Quando Deus resgata os sonhos do líder, não é para que ele pense no tempo em que perdeu e alimente sentimento de culpa.

Deus resgata os sonhos para trazer à lembrança que as conquistas ainda não terminaram e que não podemos estar interessados apenas em realizar nossos afazeres. Deus está dizendo que chegou a hora de conquistarmos ilimitadamente, porque Ele quer sonhar através de nós e nos fazer um José, que interpreta os sonhos do rei e, no lugar onde todos são escravos, termos o privilégio de vivermos como príncipes.

Deixe um comentário