As Tentações da Liderança – Parte 1

04
maio

O que parece mais fácil de administrar para você: o sucesso ou o fracasso? A maioria das pessoas não sabe lidar com o fato de ocupar um alto cargo. De fato, o sucesso destrói algumas pessoas.

A liderança vem acompanhada de três vantagens primordiais:

  • Posição – Você pode chegar a estar mais alto.
  • Poder – Você pode chegar a fazer mais.
  • Privilégio – Você pode chegar a ter mais.

Cada uma dessas coisas é um benefício legítimo de liderança. O esforço e labor extraordinários que você tem levado para se converter em um líder lhe oferecem uma posição melhor, com mais poder e privilégios maiores.

No entanto, devemos considerar esses privilégios como “mão de ferro em luva de veludo”. Se fizer mau uso deles, todos virão acompanhados de tentações suficientemente grandes para causar a sua queda como líder.

Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!

Só precisamos olhar os títulos das notícias para ver como podem ser destruidoras as tentações relacionadas à liderança. Os conflitos de interesses e o mau uso dos privilégios têm causado problemas a muitas pessoas ao longo de toda história, e continuam causando hoje. Lord Acton disse certa ocasião: “O poder corrompe, e o poder absoluto corrompe de maneira absoluta”.

O bom de tudo isso é que, quando chega a tentação, Deus nos oferece um antídoto. O líder sábio estuda a tentação, reconhece-a e aplica o antídoto.

Preste atenção no texto: Neemias 5:14 14 Também desde o dia em que fui nomeado seu governador na terra de Judá, desde o vigésimo ano até ao trigésimo segundo ano do rei Artaxerxes, doze anos, nem eu nem meus irmãos comemos o pão devido ao governador.

Neste versículo, vemos que Neemias fica doze anos no cargo de governador de Judá. Os que estiveram antes dele, diz o texto, fizeram mau uso do seu poder, privilégios e posições para favorecer as próprias ganâncias egoístas.

Para cada cem pessoas que podem lidar com a adversidade, há somente uma que pode lidar com a prosperidade. THOMAS CARLYLE

AS TRÊS TENTAÇÕES DA LIDERANÇA

1.Você será tentado a fazer mau uso da sua posição.

Mas os governantes anteriores, aqueles que me precederam, puseram um peso sobre o povo e tomavam dele quatrocentos e oitenta gramas de prata, alem de comida e vinho.

Os predecessores de Neemias faziam exigências pouco realistas. Cobravam do povo impostos excessivos, aplicavam-lhes cargas injustas e não tinham compreensão nenhuma da situação deles. Aqueles homens haviam abusado da sua posição.

Talvez você tenha visto isso acontecer: alguém que você conhece no seu trabalho — alguém com quem você esteve almoçando e contando piadas ainda ontem — recebe uma promoção, e, de repente, se converte em um pequeno ditador. O poder o transforma. De repente, começa a tratar os outros com menosprezo. Começa a fazer exigências excessivas que desmoralizam as pessoas. O poder adquirido repentinamente pode fazer com que isso aconteça.

2.Você será tentado a abusar do seu poder.

Até os seus auxiliares oprimiam o povo.

Aqueles pequenos ditadores haviam adotado o estilo de vida de líderes opressores. Eram uns autocratas. Até seus criados tinham se convertido em pequenos déspotas. Estavam fazendo uso incorreto do seu poder abertamente.

Há uma diferença entre ser chefe e ser líder. Aquelas pessoas haviam si do colocadas em cargos de liderança, mas depois fizeram mau uso dos seus cargos, abusando do poder. Ninguém gosta de trabalhar para um líder dominante; uma pessoa cujas palavras favoritas são: “Faça isso porque mandei fazer!”.

Os tiranos exigem sem nunca explicar.

A liderança não é senhorio.

3.Você será tentado a tirar lucro dos seus privilégios.

Quando Neemias se refere ao “imposto que me correspondia como governador”, nos dá a entender que o governador tinha uma espécie de conta ilimitada para seus gastos. Sem dúvida, a comida era oferecida ao que se encontrava naquele cargo como sinal de gratidão. Seus predecessores, porém, haviam feito mau uso daquele privilegio.

Geralmente, os líderes ganham mais, recebem mais benefícios adicionais e lhes c concedida mais liberdade em seu calendário de trabalho e em sua conta de gastos. A liderança tem seus privilégios, mas existe muita gente que não sabe lidar com isso.

Mas, por temer a Deus, não agi dessa maneira.

Neemias era um líder fora do normal. Não era conformista, e não seguia os esquemas que se esperava que seguisse. O que o fazia tão diferente dos que o antecederam?

Além disso, desde o vigésimo ano do rei Artaxerxes, quando fui nomeado governador deles na terra de Judá, até o trigésimo segundo ano do seu reinado, durante doze anos, nem eu nem meus irmãos comemos a comida destinada ao governador.

Vemos os seguintes dados acerca de Neemias durante o período em que foi governador: nunca recebeu salário, nunca usou uma conta de gastos, negou-se a exigir impostos, negou-se a comprar terrenos para obter lucros, pagava seus empregados dos próprios recursos para fazerem trabalho público, alimentava diariamente, com o próprio dinheiro, mais de cento e cinquenta pessoas. Basicamente, Neemias está dizendo: “Não tomei dinheiro nenhum, nem ganhei nada”. Quantos políticos vêm a sua mente que rejeitariam voluntariamente a oportunidade de obter lucros materiais?

Qual era o segredo de Neemias? O que fez com que não abusasse do seu poder, do seu cargo e privilégios?

Deixe um comentário