Como um Líder Organiza Projetos – Parte 3

01
fev

Texto Chave: 1 Coríntios 14:40 40 “Tudo, porém, seja feito com decência e ordem.”

6. Um líder administra: Em todos os tipos de projetos, e necessário haver supervisão de trabalho. É interessante observar que o livro de Neemias não menciona nunca o nome do próprio Neemias. Onde estava? Estava em primeira linha supervisando os trabalhos. Estava fazendo o que Tom Peters chama “Geca” (Gerência caminhando), em seu livro “Paixão pela excelência”. Neemias estava caminhando e vendo o trabalho das pessoas, inspecionando e supervisionando continuamente o trabalho. De que outra forma saberia o que cada um estava fazendo? Como você pode saber? Além de inspecionar as obras ele mesmo, Neemias também nomeou supervisores que o ajudaram a controlar, dirigir e administrar o projeto. Vamos ver dois princípios que devemos compreender com o exemplo de Neemias. As boas organizações estabelecem linhas de autoridade claras. Além das descrições de responsabilidades claras, também há linhas de autoridade claras. Não há confusão quanto a quem deve informar a quem. As pessoas fazem o que você inspeciona, não o que você espera. Você notou como isso e verdade? Se seus trabalhadores sabem que você não os está vigiando, não vão trabalhar.

7. Um líder agradece: As boas organizações reconhecem o esforço. O reconhecimento do que os outros fazem para conseguir que seus projetos tornem-se realidade (talvez o principal propósito do terceiro capítulo de Neemias. Aqui ele apresenta uma grande lista de honra a fé, atribuindo méritos aos que os mereceram. Quase três mil anos depois, talvez não possamos pronunciar os nomes, mas ainda os recordamos. Há algumas coisas que precisamos observar acerca deste princípio de reconhecimento. Neemias os conhecia por seus nomes. Este e um dos sinais do bom líder. Neemias menciona trinta e oito nomes, e lhes atribui o mérito de terem feito um bom trabalho no muro. Você sabe quem está fazendo um bom trabalho em sua organização? Se você sabe, eles sabem que você aprecia o que eles fazem? Você faz com que eles saibam? O reconhecimento e um princípio da boa organização. Desenvolva formas de fazer com que as pessoas saibam que estão fazendo um bom trabalho. Tal qual fez Neemias: Depois dele Baruque, filho de Zabai, reparou com zelo outro trecho, desde a esquina do muro até a entrada da casa do sumo sacerdote Eliasibe.

As palavras “com zelo” são as únicas palavras descritivas que há neste capítulo. Outros são reconhecidos por realizarem seu trabalho, e há aqueles que não trabalharam de forma alguma. Este homem fez seu trabalho de tal modo, que Neemias anotou sua atitude. Trabalhou com entusiasmo. Quase três mil anos mais tarde ainda conhecem o seu nome. Não sabemos com exatidão o que ele fez. Talvez tenha trabalhado mais rápido que os demais, ou durante mais horas, ou talvez tenha demonstrado uma atitude especialmente positiva. Graças a seu entusiasmo, Baruque continua sendo um exemplo para nós, hoje. Se você quer que reconheçam seu trabalho, faça-o com entusiasmo. Deus vê o entusiasmo. Está na Bíblia. Em grego, a palavra “entusiasmo” significa “possuído por Deus”. Quando e Deus quem o possui, nota-se. Salum, filho de Haloes, governador da outra metade do distrito de Jerusalém, fez os reparos do trecho seguinte com a ajuda de suas filhas.

Naqueles dias, as mulheres não faziam trabalhos de homem. Culturalmente, era raro que elas fossem reconhecidas. No entanto, Neemias as reconheceu. Ele atribuiu o mérito a quem era devido. Creio que o único propósito pelo qual Neemias escreveu o terceiro capítulo foi o de demonstrar o valor do reconhecimento. O trecho seguinte foi reparado pelos homens de Tecoa, mas os nobres dessa cidade não quiseram se juntar ao serviço, rejeitando a orientação de seus supervisores.

É interessante o fato de que, enquanto Neemias está honrando a tantos pelo trabalho feito, lembra agora esses supostos “notáveis” pelo que não fizeram. Que epitáfio! Graças a Neemias são milhares de milhares de pessoas que leram desde aqueles tempos a respeito dos esforços dos que construíram o muro e também a respeito dos que não se esforçaram para levantar nem um só tijolo. As boas organizações reconhecem e recompensam os esforços. São muitas as igrejas que funcionam com o princípio do 80/20: vinte por cento das pessoas fazem oitenta por cento do trabalho (e infelizmente, aqui no MIESF somos assim também). Isto é certo no sentido físico, e também no financeiro, e o é na maioria das igrejas. Não deveria ser assim, porque isso significa que todos os demais estão obtendo algo que não ganharam.

Ao contrário, Neemias não se enraiveceu por causa dessas pessoas. O fato de elas não terem participado não lhe importunou. Ele preferiu concentrar-se nos que estavam trabalhando e esquecer dos que não queriam trabalhar. “Não tenho o direito”, disse, “de me deixar ser importunado pelo fato de que há pessoas que nunca vão fazer nada para servir. Talvez venham durante semanas, meses ou anos, e nunca participarão de nada. Deus o sabe, e um dia, é ele quem recompensará”. Assim, cada um de nós prestara contas de si mesmo a Deus.

A Bíblia diz que Neemias tinha uma lista. E você? Está na lista de Deus? Um dia, quando comparecer diante dele, vai olhar a lista e você saberá se participou em sua obra ou não. A Bíblia diz que um dia eu vou prestar contas a Deus da minha vida, com respeito a forma pela qual o servi. E você também. E se vocês não forem dignos de confiança em relação ao que e dos outros, quem lhes dará o que e de vocês? Deus vai pedir contas do que você fez com o que ele lhe deu! Ele está fazendo uma lista da mesma forma que Neemias tinha sua lista de reconhecimentos. Deus está mantendo um relatório de meu trabalho e da minha mordomia… e dos seus também. Na realidade, não importa o que os outros pensem. Nem sequer importa quem sabe as coisas. O que importa e que Deus sabe.

O que Deus vai dizer acerca do meu trabalho? Ele dirá “Bem feito, servo bom e fiel”, ou dirá, “Por que você não fez mais? Qual é a sua desculpa?”.

O que Deus vai dizer sobre você? Se esse fosse seu último momento na terra, “o que Deus diria sobre a forma como você o tem servido?”

Portanto, meus amados irmãos, mantenham-se firmes, e que nada os abale. Sejam sempre dedicados a obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de vocês não será inútil. Deus não pediu a nenhum de nós que construíssemos um muro. No entanto, ele nos pediu que nos envolvêssemos no Ministério. Ser cristão significa ser chamado para o Ministério.

Nem todos vamos ser pastores, nem vamos renunciar ao nosso trabalho para nos dedicar integralmente a obra do Ministério. No entanto, todos os cristãos, sim, temos sido chamados para servir; para ministrar aos outros. O cristão que não serve, não serve e é uma contradição. Deus espera de nós que nos envolvamos servindo aos outros. Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros. Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé. Se o seu dom e servir, sirva; se e ensinar, ensine; se e dar ânimo, que assim faca; se e contribuir, que contribua generosamente; se e exercer liderança, que a exerça com zelo; se e mostrar misericórdia, que o faça com alegria.

Pergunte-se: “Qual é a minha função dentro do corpo de Cristo? Qual é o meu lugar dentro da igreja? Que parte do muro estou levantando?”

Deus deu a cada um de nós distintos dons com diferentes propósitos. No entanto, não permita que esses dons se interponham no caminho do ministério prático. Não use como desculpa o “esse não é meu dom”. Sim, você deve trabalhar no aspecto que lhe interessa. Sim, você deve trabalhar naquilo para o que recebeu dons espirituais. Você deve utilizar seus dons no aspecto fundamental do serviço a realizar. No entanto, Deus também o chama para trabalhar além do que abarcam seus dons espirituais. De todos os que estão nas listas de Neemias, não há nenhum que fosse construtor profissional de muros. Nenhum deles tinha “o dom” de colocar tijolos e fazer massa. Havia farmacêuticos, joalheiros e ourives. Eram pessoas que trabalhavam com suas mãos, mas quando precisaram dessas mãos para erguer um muro, não tiveram medo de encher essas mãos de calos.

Existe um bom número de coisas que estamos fazendo neste momento, que não vão significar nada daqui a dez anos, neste momento, sim. Convido você a se juntar a maior das causas do mundo: o Reino de Deus. Você não pode fazer na vida nada mais importante do que levar Cristo aos outros; ajudá-los a crescer no Senhor e a se converterem em membros da sua família. As Escrituras nos dizem que, assim como cada um de nós possui um corpo com muitos membros, e esses membros não têm todos a mesma função, também em Cristo, nós somos muitos, formamos um só corpo, e cada um dos membros pertence aos outros. Temos dons diferentes e precisamos utilizá-los.

Lendo isto, você poderá dizer: “Senhor, percebo que estas falando comigo. Não quero buscar mais desculpas, como aqueles notáveis tão preguiçosos. Quero achar um lugar onde possa te devolver parte da minha vida em serviço e Ministério. Quero que a minha vida sirva para algo. Quero ter um impacto significativo. Um dia, quando eu comparecer diante de ti para prestar contas, mais do que qualquer coisa, quero ouvir estas palavras: ‘Muito bem, servo bom e fiel. Porque, então, saberei que tudo terá valido a pena. Obrigado pela tua Palavra”.

Deixe um comentário