Como um Líder Resolve Seus Conflitos – Parte 1

08
abr

Quando o inimigo ataca sua liderança, usa a trapaça, o desânimo e os perigos. Mas isso não é tudo. A sua seguinte linha de ataque também inclui os conflitos internos. A divisão e a discórdia são armas que usam as pessoas para lutar entre si, e só as tornam ineficazes.

A sabotagem interna e um dos piores problemas que um líder pode enfrentar. E como a traição! Satanás fica encantado com isso. Ele adora dividir e vencer. Uma das primeiras armas que utiliza e o dinheiro. Os conflitos causados pelas finanças são mais que qualquer outra coisa.

As estatísticas mostram que a maioria dos divórcios tem a ver com problemas financeiros. O inimigo gosta de destruir os casamentos, a instituição na qual Deus nos ensina a relação que há entre Cristo e a igreja. Os problemas internos destroem mais igrejas que qualquer pressão externa. Satanás se dedica a destruir igrejas.

Se uma casa estiver dividida contra si mesma, também não poderá subsistir.

Você já viu como uma equipe de futebol se autodestrói? Quando há uma equipe de jogadores arrogantes no campo, isso pode acontecer. No lugar de batalhar contra a equipe oposta, lutam entre si. As divisões podem acontecer onde quer que haja duas pessoas ou mais. Nós, seres humanos, lemos a tendência de querer as coisas a nossa maneira.

Os conflitos não resolvidos detêm a obra do Senhor era nossa vida. Isso é verdade em seu negócio, em seu matrimonio, em sua igreja e em qualquer lugar onde haja pessoas que se relacionam entre si. O líder tem de aprender a resolver os conflitos. Nestas páginas, veremos a canalização dos conflitos e a arte de enfrentá-los. Veremos primeiro as causas, e depois aplicaremos a solução.

AS CAUSAS DOS CONFLITOS

Naqueles dias, o povo gastava semanas trabalhando nas muralhas. Como eles focaram suas energias principalmente ali, não cultivaram suas hortas. A consequência era que a comida estava acabando.

Ora, o povo, homens e mulheres, começou a reclamar muito de seus irmãos judeus. Alguns diziam: “Nós, nossos filhos e nossas filhas somos numerosos; precisamos de trigo para comer e continuar vivos”.

Havia muitas bocas para alimentar e não havia comida suficiente para todos. Havia inflação, preços altos e escassez de alimentos.

Talvez nos perguntemos: se eles estavam fazendo a obra do Senhor, por que ele permitiu que houvesse escassez? Eu creio que o fato de fazer a obra do Senhor não nos isenta dos problemas comuns da vida. só porque estamos fazendo o que devemos, isso não significa que nosso carro não vai quebrar. O fato de estar dedicados ao Ministério não vai evitar as enfermidades graves ou outros problemas. Talvez não saibamos sempre exatamente o porquê, mas podemos, sim, saber que o propósito de Deus conosco e que cresçamos sempre.

Outros diziam: “Tivemos que penhorar nossas terras, nossas vinhas e nossas casas para conseguir trigo para matar a fome”.

Suas casas estavam hipotecadas ao máximo. Estavam em uma escravidão financeira, tirando dinheiro de suas casas e hipotecando-as cada vez mais, só para por comida na mesa.

E havia ainda outros que diziam: “Tivemos que tomar dinheiro emprestado para pagar o imposto cobrado sobre as nossas terras e as nossas vinhas.

O terceiro problema era os impostos elevados. Aquelas pessoas pediam dinheiro emprestado só para pagar os impostos.

Apesar de sermos do mesmo sangue dos nossos compatriotas, e de nossos filhos serem tão bons quanto os deles, ainda assim temos que sujeitar os nossos filhos e as nossas filhas a escravidão. E, de fato, algumas de nossas filhas já foram entregues como escravas e não podemos fazer nada, pois as nossas terras e as nossas vinhas pertencem a outros.

Estavam tão atolados em dividas, que, na realidade, venderam membros da família, só para sobreviver. Para pagar as dívidas, eles eram obrigados a entregar seus filhos para trabalharem como escravos. Os impostos elevados, a quantidade de hipotecas, os preços altos, o trabalho forçado durante um número excessivo de horas… isso se pareceria com a seção de negócios dos jornais de hoje. A Bíblia e atual! No entanto, aqueles tempos difíceis não eram a raiz do problema.

O primeiro versículo diz: “o povo, homens e mulheres, começou a reclamar muito de seus irmãos judeus”. Eles se queixavam entre eles mesmos. Os judeus ricos estavam explorando os judeus pobres em um tempo de grande crise. Aproveitavam-se do infortúnio dos pobres e geravam capital com ele. Os que tinham dinheiro e comida diziam: “Se me vender sua casa, dou-lhe comida. Posso emprestar-lhe dinheiro, mas com um juro alto. E se você não puder pagar o empréstimo, levarei seus filhos como garantia de pagamento”. Exploravam-se entre eles mesmos.

Em lugar de ajudar e dar aos pobres, estavam emprestando o dinheiro com altos juros, ficando com as casas e levando os filhos como escravos, havia uma desconsideração total para com o infortúnio dos outros. A única preocupação era: “Que vantagem posso tirar deste problema?”

Esta forma de conduta era claramente contrária à lei de Deus. Em Êxodo 22.25, a Palavra diz que os judeus não podiam emprestar dinheiro a juros uns aos outros. Poderiam cobrar juros a outros, mas não entre si. A Bíblia diz também que um judeu não pode escravizar outro judeu. A pessoa rica poderia contratar uma pessoa pobre para que trabalhasse para ela, mas a escravidão entre eles estava proibida. Aqueles judeus ricos estavam violando clara e abertamente a vontade de Deus: adquirindo ganhos, explorando e se enriquecendo à custa da fome alheia. No meio do programa de construção, havia surgido um conflito entre os que tinham e os que não tinham.

A raiz dos conflitos internos e da discórdia sempre está no egoísmo.

De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?

Os conflitos sempre têm a ver com o egoísmo. Sempre!

Quando há um conflito entre o que eu quero e o que você quer, temos um problema, e esse problema, se não é resolvido, acaba com conflitos e divisões. Trabalhar com pessoas é a maior satisfação para um líder e também sua maior frustração.

As pessoas tendem a ser egoístas, e isso inclui a mim e a você. Queremos as coisas do nosso modo. Queremos fazer o que queremos fazer.

Entretanto, o que nós queremos nem sempre e o melhor. Imagine o que seria viver com uma dieta de sorvete. Eu gostaria. No entanto, minha saúde sofreria, porque o que eu quero nem sempre é o melhor. O egoísmo sempre causa conflitos. De 0 a 10 o quanto você é egoísta? Pense, Assimile, Reflita e Aja!

Continua…

Deixe um comentário