Declarando os Sonhos Diante de Todos – Parte 3

15
jul

No deserto, em Dotã

“Respondeu ele: Estou procurando meus irmãos; dize-me, peço-te, onde apascentam eles o rebanho. Disse o homem: Foram-se daqui; pois ouvi-lhes dizer: Vamos a Dotã. José, pois, seguiu seus irmãos, e os achou em Dotã.” (Gênesis 37:16-17)

O que podemos ver nesse episódio é que essa era uma terra muito especial, porém muito perigosa, era conhecida como lugar de gigantes. Para chegar até Dotã, ele precisava passar pela terra dos seus adversários, pela cilada de gigantes que tentavam deter qualquer caminhante que passasse por aquele lugar.

José, além de estar viajando sozinho, não era nada discreto; ele estava com uma roupa de doze cores, que era exatamente a túnica almejada pelos seus irmãos. Não era a melhor indumentária para se caminhar no deserto, pois até mesmo os inimigos, feras ou ladrões poderiam estar molestando a vida daquele homem. Mas, nem no deserto, ele per­ deu a sua postura.

O sonho vence gigantes. Não existe sonho grande sem grandes desafios, pois a própria declaração do sonho traz desconfortos e, claro, muita guerra. A verdade é que os gigantes da alma são maiores que os externos. Precisamos saber que, no deserto de Dotã, até chegar ao alvo, os gigantes poderão até aparecer, mas todos serão vencidos. Não há registro na Biblia que algum gigante tenha desafiado José.

Mas, o que as feras não fizeram, o deserto e o desprezo de Siquém não atingiu, os gigantes não apareceram, vemos em seus irmãos: planos de feras e de desprezo, gigantes do ciúme e inveja, que são passos para a destruição de qualquer pessoa. Mas José os venceu assim como não temeu as caminhadas difíceis.

No meio dos seus irmãos

“Eles o viram de longe e, antes que chegasse aonde estavam, conspiraram contra ele, para o matarem, dizendo uns aos outros: Eis que lá vem o sonhador! Vinde pois agora, matemo-lo e lancemo-lo numa das covas; e diremos: uma besta fera o devorou. Veremos, então, o que será dos seus sonhos. Mas Rúben, ouvindo isso, livrou-o das mãos deles, dizendo: Não lhe tiremos a vida. Também lhes disse Rúben: Não derrameis sangue; lançai­ o nesta cova, que está no deserto, e não lanceis mão nele. Disse isto para livrá-lo das mãos deles, a fim de restitui-lo a seu pai. Logo que José chegou a seus irmãos, estes o despiram da sua túnica, a túnica de várias cores, que ele trazia; e tomando-o, lançaram-no na cova; mas a cova estava vazia, não havia água nela.” (Gênesis 37:19-24)

 Você pode se imaginar diante de uma situação tal como essa? Aquilo que as feras no deserto, a dificuldade do próprio deserto, o desprezo de Siquém, a rota de gigantes, os perigos que assolavam aquele homem não conseguiram fazer, seus irmãos foram mais ferozes, mais desprezíveis, mais brutais que feras e gigantes, pelo fato daquele homem sonhar. Na verdade, as pessoas não querem eliminar o individuo, mas os seus pensamentos, os seus sonhos, as suas conquistas. Não se iluda: todo ser humano que sonha torna-se uma ameaça geográfica e aqueles que não ousam conquistar se tornam anu­ lados ou adversários. É demasiadamente difícil para um irmão que nada conquista ver seu irmão conquistando tudo.

José era o segundo mais novo da família e já reinava sobre todos, ou seja, tinha uma liderança visível, era um ad­ ministrador de grande cabedal e não se importava com críticas, perseguições, nem com as ofensas dos seus irmãos. José, em todo quadro histórico, cria estratégia de resgate familiar e não de vingança pessoal. Essa é a estrutura da alma de quem tem sonhos verdadeiros.

O que podemos ver na vida desse homem é que em tudo que ele colocava a mão prosperava. Vou dizer-lhe algo: é muito fácil sonhar no conforto e debaixo de apoio, mas quando todos os desafios da vida se voltam sobre você, só quem é verdadeiramente sonhador suporta o treinamento. José era vitima da soberania de Deus, não presa fácil para seus irmãos.

Você não pode parar porque alguns lhe criticam, ou perseguem, ou maldizem. Tenho uma postura que aprendi desde cedo: observar quem me está julgando, orar por eles e prosseguir fazendo o que minha convicção ordena, debaixo de orientação divina. Tenho tido muito êxito agindo dessa forma.

Estes estudos não estão em suas mãos sem propósito e o que você precisa fazer é se posicionar e não deixar que nada roube o seu sonho. O tema SONHOS, Ouse Sonhar e Viva Novos Começos, fala muito a quem deseja romper os limites naturais e entrar na dimensão do conquistador.

Atualmente, o MIESF12 tem alargado as fronteiras, pois somos fruto de uma decisão e de uma fidelidade à uma visão, ao Sonho de Deus para nós. Vamos incentivar cada vez mais para que você sonhe os Sonhos de Deus e isto trará a mão de Deus sobre os seus sonhos. As dificuldades serão vencidas pela sua determinação em viver o melhor de Deus para você, se você está Pela Vontade do Pai, Deus está contigo, não temas.

Não pense você que as situações que têm assolado a sua sorte estão fora do controle do sonhador maior: Jesus, o Senhor. Ele conhece os nossos pensamentos e caminhos, e nada foge da Sua direção e controle. Não fique abatido quando o deserto se alongar ou quando os riscos estiverem próximos a você. Creia que um novo tempo será instalado e que a sua hora chegará. Para isso, Deus está forjando em você o caráter de sonhador.

Deixe um comentário