Meu Sonho Tem Nome – Parte 1

15
jul

José foi um homem que não omitia os seus sonhos. Deus está querendo mostrar-nos, através da vida deste homem, a importância de nutrir um sonho. Quando José começou a sonhar, ele não parou, seus sonhos não tiveram fim. Os sonhos de José não ficaram no mesmo nível, eles foram ampliados.

Os sonhos, quando são ampliados, dão renovo ao líder e renovam sua alma. Quando o líder deixa de sonhar, ele assina o seu óbito. Como podemos instalar um novo mover ou uma nova fase na Visão, se os líderes deixaram de sonhar? Como você pode instalar na sua equipe uma conquista, se a sua equipe não sonha?

O líder não deve acostumar-se com o seu sonho, mas renová-lo a cada manhã. Se ninguém quiser ouvir o seu sonho, não há problema. Conte o seu sonho para si mesmo, mas não deixe que ele morra. Faça com que o sonho se concretize, a partir da sua vida.

Podemos ver como as pessoas já se acostumaram com um discurso de palavras de ânimo, fé, encorajamento. Aprendemos uma linguagem e passamos a pronunciar essas palavras no automático. Toda palavra de vida, ânimo, fé e encorajamento, não podem tornar-se para nós algo corriqueiro, pelo contrário, deve ser sempre um desafio novo para as nossas vidas.

“Não temas diante deles; pois eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor. Então estendeu o Senhor a mão, e tocou-me na boca; e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca. Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares; e também para edificares e plantares.” (Jeremias 1:8- 10)

Esse texto mostra que há poder nas palavras para construir e para destruir. Um sonho para ser construído precisa ser divulgado, confessado, acreditado. Creia que o seu sonho é possível! Aja constantemente no mover das palavras proféticas. Seja uma pessoa quebrantada. Não seja resistente.

Deus usa quem quer e onde Ele quer, portanto se um discípulo chegar até você e lhe der uma palavra rhema, receba, reconheça que a palavra é boa e que vem de Deus. O nosso investimento não é desperdiçado. Há coisas que os nossos discípulos nos dizem que são pistas para uma mudança tremenda em nosso ministério. O que precisamos é de humildade para ouvir nossos discípulos.

O sonho que Deus nos dá precisa ser ministrado, precisa alegrar-nos e não nos entristecer. Não há como sonhar e não ser perseguido. Quando você começa a divulgar uma visão, automaticamente você provoca ciúmes. Quando você libera palavras e sementes da sua credulidade, as pessoas começam a persegui-lo de forma ferrenha.

Deus sempre usará pessoas que serão abençoadas através dos nossos sonhos. Os sonhos que Deus nos dá são para abençoar as pessoas. Muitos dos nossos sonhos estão ligados às necessidades pessoais. Porém, os sonhos que a Bíblia nos propõe envolvem um contexto inteiro, pessoas, vidas, para que outros sejam beneficiados.

Pergunte-se: o seu sonho o ministra ou o frustra? Traz um ânimo novo ou o faz desistir? Gera alegria ou o perturba? Às vezes, estamos tão guardados em nós mesmos, que não entendemos a potencialidade do relacionamento e, por causa disso, os nossos sonhos são roubados. Ninguém terá uma multidão sem ter amor por vidas. Há líderes que, quando os discípulos se aproximam, eles ficam transtornados. Receber pessoas é um dom!

Será que você está mesmo preparado para ter discípulos, para caminhar com uma multidão? Se você é líder de um avivamento, como a sua casa pode estar fechada para receber discípulos? Só se você não for líder de uma multidão e estiver longe de uma conquista.

Alguns não querem ter sua privacidade roubada. Mas, quem disse que você terá privacidade? Sua casa é sede do avivamento. Aonde você for haverá alguém para pedir-lhe um abraço, uma palavra. Chegarão perto de você só para abraçá-lo e beijá-lo. Quando começamos a andar com Jesus, nunca mais estamos sozinhos, passamos a andar com uma multidão.

Haverá dias em que seremos conhecidos em todo o território nacional, mas isso só virá pelo relacionamento. Não podemos virar as costas e fingir que não estamos vendo as pessoas que chegam até nós. Precisamos ver as pessoas e sermos simpáticos com elas.

Um líder de multidão e de avivamento precisa abrir caminhos e não fechá-los. Alguns precisam ‘desestressar’ o rosto para receber as multidões e permitir que elas se acheguem. O líder de multidão não pode negar a multidão. A multidão que Deus quer entregar-lhe é incontável. Então, você será visível no incontável.

Jesus ia para o outro lado do rio, muitas vezes, para ter um tempo a sós com os Seus discípulos, mas não adiantava. Quando Jesus chegava, o povo já estava aguardando-O. Onde Jesus estava, havia uma grande multidão. Muitos são os textos nos Evangelhos que comprovam esse fato. Não há como correr da multidão. O líder que sonha atrai multidão.

Acostumar-se com um discurso e com a ministração se torna uma arma para atar o líder. Todo sonho de um líder é uma colheita sem desperdício de fruto. Tudo o que Deus quer é que sonhemos os sonhos do Seu coração.

“E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre. E ela concebeu, e deu e deu à luz um filho, e disse: Tirou-me Deus a minha vergonha. E chamou-lhe José, dizendo: O Senhor me acrescente outro filho.” (Gênesis 30:22-24)

Quando José nasceu, Raquel reconheceu que nascia uma colheita, um sinal de crescimento. Precisamos deixar José nascer em nós. O nascimento de José foi um fator determinante e decisivo para sinalizar a conquista de um território. José chegou com um sinal de que, a partir daquele momento, a vida daquela família passaria por transformações tremendas.

Continua…

Deixe um comentário